segunda-feira, 23 de julho de 2012

Turma da Mônica Jovem: Bem vindos ao Japão


Embora eu não acompanhe a série, não podia deixar de citar 3 edições que não pude resistir: 2 especiais com personagens de Osamu Tezuka e a última edição "Bem vindos ao Japão". Esta última, também tema de um post no Jojoscope, me chamou atenção por ter uma história leve e engraçada, mas ao mesmo tempo educativa e que toca num ponto bem específico: o choque cultural, como bem disse o Sr. Jo Takahashi em seu blog.
Fiquei surpresa com a toada da edição que conseguiu introduzir lugares, moda e característica do comportamento japonês com muita criatividade, assim como ficou claro o amplo estranhamento e o desconhecimento estrangeiro que no mangá foi retratado pelo Cebolinha. Como recentemente lidei com a realidade de quem vai ao Japão num grupo onde nem todos têm conhecimento dos costumes e particularidades do povo japonês, muitas cenas do quadrinho são reconhecíveis e exemplificam bem os pré-conceitos e ideias equivocadas que geram alguns constrangimentos.
Enfim... é um quadrinho que vale a pena até o fim, com o bom exemplo de espírito de união.

domingo, 22 de julho de 2012

1/100 Architectural model accessories series por Terada Mokei


Naoki Terada, arquiteto e designer japonês é responsável pelo desenvolvimento de uma fantástica série de modelos em miniatura para projetos arquitetônicos em papel. Em uma simples cartela é possível montar vários cenários e situações que vão de dinossauros à representação de Tóquio. Os detalhes e a delicadeza dos modelos em escala de 1/100 são impressionantes. Com relação ao detalhamento, a associação à precisão dos relojoeiros suiços leva a crer que a criação de um modelo perfeito que atraia a atenção das pessoas não se trata de criação de perfeição, mas sim a criação e o cuidado com os detalhes que se tornam cruciais para a apreciação e para o exercício da criatividade compensando a diferença de escala dos modelos. A escolha pela escala 1/100, mais popular para a construção de modelos arquitetônicos, se deu pela facilidade de criar  vários objetos sem que sejam muito pequenos ou demasiado grandes.
A marca Terada Mokei foi criada objetivando expandir o potencial para a modelagem baseada na capacidade de dar-lhes mais riqueza de detalhes, além de, obviamente estar atribuída à diversão de montar modelos. 
Talvez Naoki Terada não esperasse que sua ideia de facilitar a produção de acessórios para modelos de arquitetura fosse ganhar tanto destaque quanto agora. É realmente fascinante, mas não diria que é para qualquer um, aliás, a diversão acho que fica apenas para os habilidosos.
Mais informações AQUI.