sábado, 12 de setembro de 2009

Hot Hashi: Shibari

Recentemente Lady Gaga, fez um ensaio à la Hot Hashi para a Vogue Japan. Todos sabemos que a cantora é conhecida por suas extravagâncias e pelas estratégias apelativas de se promover. O fato é que isso tem lhe rendido muita funfa e popularidade. O que ela teve de Hot Hashi, afinal, não é?

Pois bem: o ensaio de Gaga teve inspirações fetichistas relacionadas diretamente ao sadomasoquismo, mais especificamente a técnica de bondage (sentir prazer com a privação de movimentos do parceiro), no caso da Vogue Japan, o Shibari, que faz muito sucesso no Japão embora ainda seja ligeiramente um tabu (acho que mais pra nós do que pra eles).
Shibari é o verbo japonês referente a "amarrar" utilizado para descrever a forma artistica das amarrações. O bondage japonês (kinbaku) faz uso de técnicas de nós simples até os mais elaborados durante as amarrações sexuais (uh) que podem lhe conferir realmente um aspecto artístico. Neste caso o uso de cordas de vários tamanhos é essencial e a mais tradicional é a de cânhamo.
Dizem que os efeitos psicológicos proporcionados pelo bondage japonês são incomparáveis (o.O). Há no shibari uma união de múltiplos objetivos como a imobilidade, exposição, desconforto e estimulação erótica que no final deve dar algo bom (espero).
Obviamente não dá pra todo mundo sair se amarrando por aí simplesmente. Há técnicas específicas e cuidados que devem ser tomados que levam muito tempo para serem aprendidos. Deste ponto segue a disciplina nipônica, o respeito mútuo e a busca contínua por um entendimento entre os parceiros que devem estar cientes de que o prazer dessa técnica está no trabalho de todas as partes juntas e não apenas um elemento.

Isso foi fundo, não? Bom, se não lembram, o post "Vamos aprender a..." aqui do CdH mostrou que por vezes o assunto é tratado com muito bom humor e delicadeza no Japão, mas claro, também há o lado negro da força, vide o gigantesco mercado pornográfico nipônico muitas vezes conhecido por suas excentricidades. Não é a toa que para nós ainda soe tão exótico, para não dizer pervertido.
Não é raro ter conhecimento de eventos de demonstração e cursos para ensinar as várias técnicas de amarrações e de nós. Há quem pague muito caro para ser amarrado ou para aprender a amarrar. E aí? Vai encarar?
Tinha um video de um programa japonês onde ensinam como fazer uma amarra simples com uma modelo. Ficou super engraçado, mas nao consigo achar agora -_-* Assim que lembrar o link faço uma atualização aqui.


Mais imagens nessa coleção de fotografias: aqui

Nenhum comentário: