quarta-feira, 2 de julho de 2008

Japão cria DVD de 42 GB que não pode ser lido em lugar nenhum

"Cientistas da Universidade de Tohoku, no Japão, desenvolveram um DVD capaz de armazenar até 42 GB de dados.

Para que a capacidade, equivalente a nove mídias DVD de baixa capacidade (4,5 GB), fosse atingida, os desenvolvedores modificaram o formato dos sulcos existentes no DVD, que foram moldados em V, conforme noticiou o site CrunchGear.

A tecnologia abre novas possibilidades para o armazenamento óptico. Entretanto, há um grande problema para a tecnologia, ironizou o site Gizmodo ela não é compatível com nada. Além disso, tecnologias mais modernas como o Blu-Ray, que pode chegar a até 50 GB por disco, já estão em produção e ao alcance do consumidor.

Os DVDs super-potentes não podem ser lidos pelos atuais tocadores de CD/DVD e a tecnologia não pode ser aplicada à atual encarnação do Blu-ray. Por isso, é possível que os criadores não recebam qualquer incentivo da indústria e, portanto, sua descoberta não passe das fronteiras da pesquisa acadêmica por muitos anos.

Apesar do aparente contra-senso, o sulco em V pode vir a ser importante. O interesse da tecnologia não é tanto a capacidade da mídia, mas o fato de que pode ser "engavetada" para uso futuro - uso esse que, nem sempre, corresponde ao idealizado por seus criadores. Há exemplos disso em toda a história da ciência, como por exemplo na matemática a famosa Teoria dos Nós, criada no início do século XX e que hoje é usada para pesquisas com DNA. Outro exemplo é o raio Laser, pensado inicialmente como armamento e hoje usado para diversos outros fins - inclusive ler DVDs. Portanto, uma próxima versão do Blu-Ray, ou seu substituto, poderia empregar a tecnologia dos sulcos em V."


Fonte: Yahoo! Brasil Notícias

Nenhum comentário: